26 de abr de 2012

O Tempo Acaba


Bem-vindo a EgoCity


Tem uma pessoa me esperando lá fora, alguém que não pode esperar.

Fico orgulhoso em ver meu tênis se desgastar antes do previsto. Porque ficar em casa com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar não é um dos meus objetivos cotidianos.

A rua é a vida, o quarto é o recolhimento.

Não quero passar agosto esperando setembro decidir meus passos com datas marcadas com outras pessoas, programas em que eu preferi me atrasar. 

Exatamente porque não sou nenhum deles, não usamos o mesmos chips, não temos as mesmas senhas, muito menos as mesmas contas, cada um que pague a minha quando aumentar um ponto na audiência da novela.

Se for assim, quero que o meu dinheiro dê voltas. Muito mais do que o cabo da TV possa dar ao passo do seriado da monotonia, onde todos os personagens se sentam em frente a si mesmos na hora do jantar.

Um programa de viagens anuncia: Bem-vindo a EgoCity.