30 de nov de 2008

Levanta-te e anda

Escondam todos os seus discursos. Por enquanto gostaríamos de ouvir apenas seus consolos mentais. Telepáticos. Sabemos que todos tem algo a dizer, até mesmo os recém-admitidos. Um empurra daqui, outro de lá. Aos poucos as palavras foram colocadas pra fora, mas de nada adiantaram para o fim específico. Muitas janelinhas saltitaram para ouvir os recados eufóricos. Na abundância é fácil compartilhar os frutos, difícil é levar notícia ruim aos interessados. Mais janelas, mais recusas. A cabeça pequena se encolhe no fosso da alma de elefante. Aquele menino que vive brincando de gente grande precisa parar de pensar que o seu umbigo é brinquedo.